Casmerim.com

Estamos agora no novo site:

www.institutocasmerim.com

Até lá!

Mudanças Climáticas II

Depois de Minas, São Paulo. Seminário sobre as mudanças climáticas reuniu grande parte do PIB nacional  semana passada na capital paulista. O fato de que as condições naturais que sustentaram a revolução industrial no século XX não estarão presentes no século XXI é um desafio para empresários. O representante da Andrade Gutierrez, empreiteira presente em 22 países, informou que pela primeira vez o relatório anual da empresa fala de meio ambiente em sua apresentação. Pragmatismo de sobrevivência, nas suas próprias palavras.  O setor de celulose deixou claro que vislumbra a oportunidade de grandes lucros na captura de carbono da atmosfera, segundo ele um serviço ecológico prestado pelas florestas plantadas, leia-se eucalipto. Também a exploração do pré-sal, que  significa  um aumento em nossas emissões pelo aumento do número de refinarias, foi citada como possível fonte de ganhos com a criação de um fundo para inovação tecnológica, posição defendida pela senadora Marina. Fato também é que em 2012 encerram-se as metas estabelecidas pelo protocolo de Kyoto para a redução das emissões de gases de efeito estufa. Está aberto o período de negociações.  Os representantes da delegação brasileira que estará presente na importante reunião de Compenhague no final do ano tiveram nesse seminário a oportunidade de entender melhor o que pensam os empresários brasileiros sobre o tema. Dezessete anos após a Conferência do Rio, o presidente do Instituto Ethos lembrou que as grandes tragédias que já estamos presenciando e a forte degradação dos tecidos sociais indicam a necessidade de se reinventar os negócios e principalmente um acréscimo de ética com inclusão social.

Instituto Casmerim celebra um ano

Nesse primeiro ano de existência , reafirmamos nossa união em torno do objetivo comum de trabalhar pela recuperação de áreas degradadas, articulando parcerias e promovendo o cuidado com a vida a partir  do potencial integrador das águas como bem público.

A idéia de uma outra forma de estruturação da sociedade humana, partindo do conceito de bacia hidrográfica como unidade territorial de organização, com a participação da sociedade civil organizada junto ao poder público e econômico nas tomadas de decisão, é uma realidade prevista pela mais moderna legislação concebida em torno da questão da sustentabilidade.

Agradecemos o apoio de todos que contribuíram para a realização de nossas atividades e acreditamos na força que está chegando para materializar nosso desejo de uma mudança das condições de vida humana na Terra.

2050 em 2020

De 4 a 7 de agosto, acontecerá uma Conferência Internacional Climática aqui em Belo Horizonte, na qual será lançada a campanha 2050 até 2020 para todo o mundo e uma campanha nacional com o tema: “Brasil:2020 – a Nova Energia”.

O que os governos estão negociando para 2050 em termos de redução da emissão de carbono precisa ser alcançado em 2020.  O desafio de construir e utilizar tecnologias limpas, estabelecer estilos de vida sustentável e desenvolver economias verdes em nossas cidades, regiões e países é urgente.

A reunião que ocorrerá em Belo Horizonte será uma reunião de trabalho, só participarão técnicos convidados. Destaque  entre os temas que serão abordados  para  a permacultura.

Pocilga

Está praticamente findo o processo judicial em curso há mais de cinco anos contra o proprietário da pocilga que tanto contribuiu para a degradação do córrego Santiago. No dia 24/07  foi publicada decisão do juízo de 2ª instância negando provimento a recurso impetrado pelo réu, que desejava a apreciação da matéria pelo Superior Tribunal de Justiça em Brasília. A ação civil pública visando a recuperação de área ambiental degradada foi julgada procedente pelo juiz de primeira instância o qual reconheceu em sua sentença que a   suinocultora, atividade altamente poluidora, estava sendo exercida em desconformidade com a lei, acarretando degradação ao ambiente, ficando caracterizada a obrigação objetiva, no caso responsabilidade pela despoluição. Acontece que a Turma do Tribunal acolheu parcialmente recurso de apelação, excluindo a obrigatoriedade de reparação do dano. Restou  o comando de retirar as construções erigidas dentro da Área de Proteção Permanente, o desfazimento das represas ilegalmente construídas e a obrigatoriedade de reflorestar as margens do córrego nos limites da  propriedade.

Águas de Santiago

Ontem nos reunimos na casa da Vivi com a Ana Eduarda, nossa vice-presidente. Ela nos trouxe a deliciosíssima torta Santiago. Hummm… Nos lembramos que há exatamente 1 ano atrás estávamos iniciando os trabalhos do Casmerim comendo dessa mesma torta na casa dela. Lembramos também que estamos comemorando no dia 25 de julho o dia de Santiago de Compostela!… Temos a sensação de que a correnteza às vezes vem forte, outras vezes, bem mansa; e nesse balanço, Santiago está conosco abrindo caminhos para aprimorarmos nosso trabalho do bem e do amor.
 

Santa Luzia e a Meta 2010

Uma prova de que o nosso trabalho está sendo reconhecido pelas autoridades quando o assunto é revitalização e preservação de recursos hídricos foi o convite recebido para participamos de uma reunião na prefeitura sexta-feira passada (03-07).

Essa reunião foi convocada pelo coordenador do Projeto Manuelzão, Marcus Vinicius Polignano, e teve como objetivo criar um plano estratégico para preparar o município para a Meta 2010.  Além do Instituto Casmerim, representado pelas sempre atuantes Viviane e Ana Paula, estavam presentes: Ricardo e Ana Paula – da Secretaria do Meio Ambiente, Ana Beatriz – Conselheira do Comitê da bacia do Velhas, Adriana – assessora do parlamentar Fábio Avelar,  representantes da Copasa de Santa Luzia e o nosso  querido Saulo do Projeto Manuelzão.  A reunião foi muito proveitosa e ficou claro que cada cidadão de Santa Luzia precisa assumir a revitalização do  Velhas como uma “meta pessoal”, pois o município é um beneficiário direto da meta 2010.

ETE – Onça

A partir de dezembro, a Estação de tratamento de esgoto do Ribeirão do Onça vai iniciar o tratamento secundário do esgoto de Belo Horizonte e Contagem. Isso vai melhorar muito a qualidade da água que o Ribeirão do Onça deságua no  Velhas  dentro dos limites de Santa Luzia.  Para que o Velhas sinta essa melhora na qualidade de suas águas e a Meta realmente possa acontecer, Santa Luzia também  precisa melhorar a qualidade da água que o município joga no rio.

Linhas de ação

Sabemos que são muitos os problemas ambientais de Santa Luzia, mas buscando estruturar um plano para mobilizar toda a sociedade, Polignano propôs três linhas de ação: Saneamento ambiental, recuperação das margens do rio, educação e mobilização para mudar a perspectiva das pessoas em relação à Meta.

Ficou agendada uma próxima reunião, onde cada grupo presente irá pontuar e detalhar e os planos estratégicos de cada linha de ação.

Eu achei uma estratégia muito boa, pois foi uma reunião rápida, produtiva e que realmente traçou planos de ação ao invés de ficar só pontuando problemas. Isso significa que as sementes deixadas pela Expedição 2009 começaram a germinar… Que bom!

INCA

O Instituto Casmerim pretende propor ações que visem a melhoria da qualidade da água dos rios e córregos da zona rural do município, pois se é bem sabido que os nossos cursos d’água na área urbana viraram verdadeiros esgotos a céu aberto, o mesmo não precisa acontecer com a zona rural.

Agora é mãos à obra.

Saudações casmerinas.